quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sarney diz que 'sobrevive tanto tempo' porque gosta de inovar

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), comentou nesta quarta-feira (6), ao chegar à Casa, a implantação da gestão por metas em cada departamento como forma de modernizar a administração do Senado.
"É uma coisa inovadora. (...) Sempre gosto de inovar para não parecer que não estou atualizado com as coisas que estão acontecendo. As pessoas dizem 'Por que Sarney sobrevive tanto tempo?'. E eu digo: 'Porque sou um homem do meu tempo'", brincou Sarney.
O senador explicou que cada departamento terá suas metas, que serão acompanhadas pela administração do Senado.
Em relação às denúncias de que funcionários batiam ponto no Senado sem trabalhar, ele disse que a investigação está em andamento. 'A sindicância está sendo feita pelos órgãos competentes da Casa. Eu, como presidente do Senado, tenho que deixar os órgãos funcionarem. (...) Para que nossos diretores tenham condição de fazer cumprir a lei."
100 dias de Dilma
O senador falou também sobre o começo do governo da presidente Dilma Rousseff. "A presidente Dilma está lidando sob o ponto de vista econômico com o problema do êxito, com a inflação. (...) Ela tem mostrado nesses 100 dias que não é proposta, que tem sua autoridade pessoal e veio dizer porque as mulheres estão aí."
Belo Monte
José Sarney (PMDB-AP) falou sobre a decisão da Organização dos Estados Americanos (OEA) de pedir a suspensão do processo de licenciamento da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, no Pará. Disse que viu a decisão com "perplexidade".
"A OEA tomou uma decisão de natureza política sem ver os aspectos técnicos que cercam o problema de Belo Monte. Há 30 anos se discute a construção dessa hidrelétrica. O Brasil tem que mostrar que suas decisões não são tomadas aleatoriamente", disse o senador.

Nenhum comentário: